POR QUE FALAR DE CINEMA EM EDUCAÇÃO E ORIENTAÇÃO SEXUAL?

O cinema é um recurso educativo fantástico, quando artisticamente bem produzido. É capaz de nos emocionar, gerar reflexão a respeito de temas, personagens ou situações importantes.

 

Por meio dele, é possível desenvolver a sensibilidade artística, o humanismo, estimular a pensar e debater, penetrar em mundos que não conhecemos, celebrar a diversidade e, de modo geral, a vida. Isso até pode ser possível com o chamado cinemão, que segue os modelos tradicionais dos diferentes gêneros da indústria, tendo Hollywood como referência. Mas há um outro tipo de cinema muito mais rico, embora menos espetacular, que serve de forma mais profunda a objetivos educativos. É principalmente desse cinema que tratamos aqui, nas críticas que são postadas regularmente.

 

Como o GTPOS se dedica às temáticas da sexualidade, esses são os filmes mais comentados aqui. Mas outros temas correlatos, como educação como processo, infância, adolescência, drogas e outros mais, também podem estar presentes.

 

Estamos dando preferência a filmes recentes que estão passando nos cinemas e depois saem em DVD, porque eles refletem o momento e as preocupações contemporâneas do Brasil e do mundo. Mas, eventualmente, cabe também lembrar algum belo filme antigo. Por que não?

 

As críticas servem como lembrança e referência para a discussão de determinados temas, sempre a partir de um cinema de qualidade. Mesmo que o tema tratado nos interesse muito, não vale a pena escolher fitas de baixa qualidade artística, a menos que ela também seja objeto da análise. Por isso, é melhor ignorar filmes mal feitos, desonestos ou sensacionalistas.

 

A intenção é estimular o contato com o bom cinema de todo o mundo e, na medida do possível, fazer uso dele no processo educativo, formal ou informalmente. A adequação do filme ao uso com adultos, adolescentes ou mesmo crianças, depende da avaliação de cada educador.

 

Mais críticas de cinema você encontra em: http://cinemacomrecheio.blogspot.com